:: Página Principal.
:: Documentário da Igreja.
:: O Poder da Santa Missa.
:: O Poder do Santo Rosário
:: Aparições de N. Senhora.
:: A Vida dos Santos.
 
:: As Grandiosas Orações.
:: As Orações e Promessas.
:: As Devoções.
 
:: O Relógio da Paixão.
:: A Divina Misericórdia.
:: A Mediação de Maria.
 
:: A Catequese do Papa.
:: Guerreiros da últ. Ordem.
:: Os Sinais do Apocalipse.
 
:: O Estudo da Liturgia.
:: A Imitação de Cristo.
:: Confessai-vos bem.
 
:: Confissões do Inferno.
:: O Milagre de Lanciano.
:: A Contrição Perfeita.
 
:: Eucaristia ou Nada.
:: Beato João Paulo II.
:: Papa Bento XVI.
 
:: O Catecismo da Igreja.

wpe23.jpg (10246 bytes)

 

 

Aparição de Nossa Senhora em San Nicolás.

 

Argentina – 1983.

www.obradoespiritosanto.com

 

 

Onde aconteceu: Argentina.

 

Quando: Em 1983.

 

A quem: A Vidente Gladys Herminia Quiroga de Motta.

 

Os fatos: San Nicolás é uma cidade de mais de 140.000 habitantes, a 232 Km ao norte de Buenos Aires e a 70 km de Rosário (Província de Santa Fé), na Argentina.

Tudo começou em 1983, no dia 25 de setembro, data que, desde esse momento,  passou a ser um dia de festa multitudinária. A princípio ninguém soube de nada. 

Gladys Herminia Quiroga de Motta se encontrava em seu quarto, rezando o rosário.  A Virgem lhe apareceu, fazendo o gesto de entregar-lhe o seu terço. A aparição foi muito rápida, como uma espécie de anúncio.

 

A VIDENTE.

 

Gladys  nasceu no dia 1º de julho de 1937.  É uma mulher do povo, simples como tantas outras. Vive nos arredores de San Nicolás, uma cidade de mais de 140.000 habitantes, num bairro operário. 

Antes de 25 de setembro de 1983, a vidente nunca havia tido aparições, nem experimentado fenômenos extraordinários, religiosos ou de qualquer outra índole. Nada.  Era uma cristã como muitas outras,  uma mulher normal, sólida, realista e otimista.  O primeiro encontro a tomou de surpresa, sem perturbá-la. Não se assustou, já que reconheceu logo a Virgem com o Menino, de traços clássicos e familiares,  transfigurados nesse dia por uma luz viva.

A vidente, leva uma vida equilibrada, de profunda oração e de inteira comunhão com Cristo, fatos que a fazem tomar distância das pequenas coisas da vida e até das adversidades.

 

 

OS   ESTIGMAS

 

 

A vidente experimenta os terríveis sofrimentos da Paixão de Cristo. 

Os estigmas vão aparecendo nos seus pulsos e isto se repetirá em todas as quintas e sextas-feiras do Advento de 1984, assim como durante a quaresma, todos os anos.

 

 

Os médicos enviados pelo Bispo analisaram o fenômeno, com todo cuidado.  Suas observações excluem todo engano.

A vidente, assim como outros místicos, afirma que, embora a dor física seja grande, o sofrimento moral é maior.

Os estigmas das mãos aparecem durante o Advento e a Quaresma, mas o sangue brota somente nas sextas-feiras da Quaresma.

 

 

 

  UM  CHAMADO  DE  MARIA

 

 

 

No dia 28 de setembro, seu coração  começou a vibrar e a encher-se de gozo. E novamente a Virgem lhe apareceu, vestida de azul, com o Menino nos braços, dando-lhe o terço.

Gladys se perguntava: qual será o motivo destas aparições? 

Pensou, na próxima vez, vou perguntar a Ela.

 

No dia 7 de outubro, festa do Rosário, Gladys sentiu o anúncio interior que já havia aprendido a reconhecer. Viu uma luz e, depois, nessa luz, a mesma aparição, real e cheia de vida, sustentando em suas mãos um rosário grande. 

 

Gladys escreveu:

“Eu a vi a lhe perguntei o que esperava de nós.  Neste instante a imagem se nublou e apareceu a visão de um Templo, pelo que compreendi que  Maria Santíssima queria estar entre nós”.

A Virgem não respondeu com palavras, mas com a imagem profética da capela que desejava: sua morada no meio das nossas, como Deus tinha, antigamente, sua tenda entre os Hebreus.

Até este momento Ela nunca havia falado.  Gladys continuou pensando nessa primeira imagem simbólica.

 

 

PRIMEIRAS  PALAVRAS  DA VIRGEM

 

 

 

Na segunda-feira, 13 de outubro a Virgem falou pela primeira vez:

 

“Foste cumpridora.  Não tenhas medo, vem me ver.  Caminharás pela minha mão e percorrerás muitos caminhos”.

A Virgem acrescenta, pela primeira vez, uma referência bíblica: Ezequiel 2, 4-10.  Este texto bíblico é severo.  O Senhor se queixa de maneira forte, do seu povo rebelde: “São homens obstinados e de coração  endurecido”.

Convida-nos a fazer um exame de consciência. Merecemos nós as mesmas repreensões?

 

Desde o dia 27 de novembro de 1983  Gladys tem visões diárias e recebe pequenas mensagens.

Em 1992 foram publicadas mais de 1800 mensagens. com Imprimatur e Nihil obstat de Mons. Castagna. A Virgem pede a Gladys que fale com o Bispo.

 

 

 

UM  RAIO  DE  LUZ

 

 

Na noite de 24 de novembro Gladys se dirigiu com um grupo de pessoas ao lugar que Maria escolhera para construir o seu templo e, ao mesmo tempo que lhes mostrava o lugar, um intenso raio de luz caiu  sobre o mesmo, parecendo sumir no chão.  Uma menina de 9 anos também viu esse raio de luz.

 

No dia seguinte, 25, a Virgem disse a Gladys:

 

“O Espírito Santo  te guía; deves obedecer; este lugar foi escolhido para minha morada; tudo fica em vossas mãos”.

 

A Virgem pede um novo santuário, que permaneça como mais um sinal da sua presença.

No dia 4 de janeiro de 1984, pouco mais de três meses depois da primeira aparição, um raio de luz ilumina, pela segunda vez, o ponto exato que chegará a ser, com o tempo, o umbral do santuário marcado, hoje, por uma pedra. 

No dia 22 de maio a Virgem dá mais pormenores:

“Vossa Mãe vos pede uma morada.  Não quero esplendores, quero uma casa espaçosa”.

No primeiro aniversario das aparições (25 de setembro de 1984), a Virgem recomenda que se inicie a construção que tanto deseja.  É um “leitmotiv” que se repete sem cessa.

 

 

 

A IMAGEM DE NOSSA SENHORA DO ROSÁRIO

 

 

O Padre Pérez, reitor da catedral e confessor de Gladys, quis verificar se a imagem de Nossa Senhora do Rosário, que por longo tempo havia estado na Catedral e se encontrava, agora, estragada no campanário, coincidia com a descrição de Gladys. Mandou chamar a vidente e a levou ao campanário. 

Gladys reconheceu imediatamente a imagem da aparição . . . ainda que sem a mão e sem o terço.  Nesse mesmo instante a Virgem lhe apareceu diante da imagem e lhe disse:

 

“Fui abandonada, mas ressuscitei; coloque-me aí para que me vejas tal qual sou”.  Quero estar às margens do Paraná. Fica firme. Aí viste minha luz.  Que tuas forças não desfaleçam. “Glória ao Deus Altíssimo”.

 

Ela deixará, então, a Catedral, seu lugar de origem, para estar ao alcance de um público mais amplo, para o bem da Diocese e de toda a Argentina.

O Padre Pérez mandou reparar a imagem e colocou em suas mãos e nas de seu Filho um Rosário novo.  Começou, então,  um constante desfile na Catedral, ante a imagem da Padroeira.  Milhares de órfãos se encontraram com sua Mãe a visitaram com grande alegria.

 

 

 

O  BISPO  PEREGRINO

 

 

Mons.Domingo Salvador Castagna

 

Em 25 de março de 1986, o Bispo de San Nicolás participou, pela primeira vez, da cerimônia mensal à qual comparecem tantos peregrinos fervorosos.  As procissões a San Nicolás se sucedem, de mês em mês, em lembrança do dia da primeira aparição, ou seja, no dia 25 de cada mês.

Nove dias antes, se inicia uma novena, cuja intenção é indicada pelas mensagens.  Para terminar a novena, se faz uma procissão, acompanhada de missa, que reúne 100.000 pessoas ou mais, especialmente a 25 de setembro.

 

 

 

ACOLHIDA   DO   EPISCOPADO ARGENTINO

 

 

Mons.Mario L.B.Maulión

 

O Bispo Mons. Domingo Salvador Castagna informou sobre as aparições da Virgem à Conferência Episcopal em  duas oportunidades.  A Conferência mostrou quanto a isso uma verdadeira abertura;  muitos bispos haviam comprovado em suas próprias dioceses os excelentes frutos das mesmas.

 

 

 

NAS   PEGADAS   DA   FÁTIMA

 

 

A mensagem profética de Maria segue as pegadas das  aparições de Fátima, que se deram de 13 de maio a 13 de outubro de 1917

Em San Nicolás, Maria inicia sua mensagem a 13 de outubro, aniversário da última aparição de Fátima. Esse sincronismo ressalta o alcance histórico e profético das aparições;  a Virgem continua prosseguindo, hoje em dia, o mesmo objetivo que, já naquela época, expressara em Portugal:

 

“Meu  Coração  triunfará.”

 

A 13 de maio de 1989, aniversário da primeira aparição de Fátima, a Virgem diz explicitamente:
 

“Minha filha, como outrora em Fátima, estas são novamente minhas visitas à terra, ainda que mais freqüentes e prolongadas, já que a humanidade vive momentos dramáticos.

Será que o homem não compreendeu, ainda, que deve estar ao serviço de Deus?  Sua alma perecerá,  se recusar a fazê-lo. Muitos corações não aceitam meu convite à oração, à conversão; é por isso que a obra do demônio cresce e se expande. Meus filhos, por meio da oração e da conversão, retornareis a Deus; que Ele não encontre aridez no vosso coração”. (Nº 1655)

 

 

René Laurentin, sacerdote francês, nascido em 1917, insigne teólogo, periodista e um dos mais importantes mariologistas do nosso tempo, escreveu numerosas obras de mariologia.

Além dos estudos de mariologia, se distingue,  também, por suas obras sobre eclesiologia.

René Laurentin visitou várias vezes San Nicolás e escreveu um livro sobre as aparições:  “Um Chamado de Maria na Argentina;  São Nicolás: Aparições Assumidas Pastoralmente pela Igreja.  Uma Renovação que Ultrapassa os Limites da Argentina”.

 

 

ALGUMAS DAS  MENSAGENS...

 

Não se pode viver sem rezar  diariamente ao nosso Pai do Céu, nem tampouco se pode viver com ódios e rancores.  Pedi  ao Senhor tudo quanto necessitais;  Ele ouve aos que lhe pedem com fé.  Lede São Tiago 1, 2-12.”  (21-12-83).

 

“A humanidade toda está contaminada, não sabe o que quer, e esta é uma oportunidade para o maligno;  entretanto, não sairá vencedor;  Cristo ganhará a grande batalha, minha filha, não vos deixeis surpreender, deveis estar alertas” (27-12-83, nº 1).

 

“Neste  momento a humanidade toda está pendente de um fio;  se este fio se rompe, muitos ficarão sem a salvação.  Por isso, apelo para vossa reflexão: apressai-vos, porque o tempo é curto; não haverá lugar para os atrasados”  (8-1-84,  nº 5).

 

“Rezai o Santo Rosário para que o Senhor veja que com ele vai, também, vossa conversão.  O Sagrado Coração de Jesus vos dará abundantes bênçãos” (18-1-84, nº 25).

 

“Olhai para o sol  nascente e vereis nascer um novo dia.  Que haja em vós fé e esperança.  E que, em cada manhã cresça em vós o desejo de ser verdadeiros filhos de Deus.  Não permitais que Ele afaste de vós o Seu rosto.  Confiai nele.  Lede Isaias 6,9 e 65, 17-19”.  (25-1-84, nº 30).

 

“O Senhor está revelando, por meio das mensagens e das Sagradas Escrituras, o que espera dos homens.  Não lhe fecheis as portas, entregai-vos a Jesus como Ele se entregou por vós.  Dá a conhecer o que te dou.  Aquele que queira acreditar, que acredite;  o que queira ouvir que ouça.  Amém.  Lede 2 Samuel 23, 2-7”. (27-1-84, nº 32).

 

“Em todos os lugares do mundo onde foram transmitidas minhas mensagens, parece que a pregação foi no deserto, não houve a resposta que Deus quer.  Por isso o teu povo foi escolhido.  Prega, para que os teus irmãos respondam ao chamado do Senhor, nosso Deus. Amém”. (18-2-84, nº 55).

 

“Peço-vos que rezem, porque rezando estarão perto de Deus.  Deixai que Ele penetre em vossa vida e sereis salvos para sempre.  Amém. (21-3-84, nº 89)

 

“As rebeldias que vejo no mundo são  atrozes, minha filha; sinto verdadeira compaixão por todos os que estão separados de Deus.  São órfãos de amor porque o repelem:  seus pecados aumentam dia a dia, continuam procurando-os e cometendo-os”   (17-1-85, nº 445).

 

“Filha: há, no teu povo, uma comovedora resposta ao Senhor;  vejo um sincero arrependimento em muitos pecadores.  A bondade de Deus se manifestará nesses corações e demonstrará que, a seu lado, não há sofrimento.  Vejo que meus filhos são sensíveis, que vão rezar com devoção” (19-3-85, nº 503).

 

 

“Há paixões loucas por toda parte, meus filhos, porque a cegueira  se apoderou de muita gente.  O pecado é desmedido;  o demônio quer possuir um total domínio sobre a terra, quer destruir.  Mas Deus não quer vencidos, senão vencedores: vencei definitivamente a maldade que vos rodeia.  Em Deus está a vitória.  Lede Apocalipse 21, 6-8”.  (2-6-85, nº 575).

 

“Que valor tem, para Deus, a oração!  Não o podeis imaginar, meus filhos, por isso vos peço tanta oração!  Rezai o Santo Rosário meditado.  Eu garanto que vossas orações se elevarão como verdadeiro canto de amor ao Senhor.  Glória ao Senhor.”  (13-6-85, nº 585).

 

“O demônio age fortemente, não vos assusteis.  Ataca sem pena, envolvendo tudo o que pode alcançar.  Orai, pois a oração fortalece, sois chamados por Jesus Cristo para orar” (11-9-85, nº 666)

 

“A  juventude está em permanente desequilíbrio e em perigo de completo desmoronamento.  A maioria não constrói com base na verdade, porque não conhece a justiça, não ama a Deus.  Os jovens de todo o mundo devem saber que Deus não impõe nada:  Ele deseja estar com os homens.  Há um ‘amanhecer’ que espera, uma porta por onde passarão os convidados do meu Pai, os eleitos do  meu Pai” (Jesus) (14-12-85, nº 753)

 

“Minha filha, eu te disse uma vez que aqui renasceria a fé em Jesus e Maria.  Daqui, convido o mundo a buscar a fonte vivificadora, a fonte de paz e de graças”.

Quero curar os meus filhos dessa enfermidade que é o materialismo do qual muitos padecem.  Quero ajudá-los a descobrir a Cristo, a amar a Cristo e dizer-lhes que Cristo prevalece sobre todas as coisas.” (26-1-86, nº 788).

 

“Este país se mantém ainda íntegro, comparado com outros países que estão corruptos, quase desfeitos espiritualmente.  Nestes lugares, a mente da maioria das pessoas está dominada pelo malvado;  aqui, sucede o contrário;  é que a obra de Deus está produzindo frutos.  Neste país, meus filhos se estão entregando a Deus e o mal não entra nunca onde Deus está”. (14-2-86, nº 801).

 

"Minha filha, que os teus irmãos saibam que as novenas que fazem alcançam conversões.  As orações produzem frutos.  Estes seriam muito mais abundantes se eles amassem verdadeiramente o Coração do meu Filho.  Dar-se a Deus é amá-lo pura e exclusivamente.  Amém. (18-4-86,  nº 857).

 

“Repetidas vezes me dão golpes ao coração.  E os sinto cada vez que Cristo Jesus é ofendido.  O inimigo me está desafiando, sem pena;  está tentando abertamente os meus filhos.  É um combate entre a luz e as trevas; uma constante perseguição à minha querida Igreja” (22-5-86, nº 881).

 

“Oh! Meus pobres filhos!  Poucos sois os que vos aprofundais em Cristo e muitos os que estais destruídos pelo pecado.  Na realidade, este tempo é um precioso tempo que não deve ser desperdiçado, mas, sim, aproveitado.  O Redentor está oferecendo ao mundo a maneira de enfrentar a morte, que é satanás.  Está oferecendo-lhe, como fez, na cruz, a sua Mãe, medianeira de todas as graças.  Meus filhos, meu Coração quer que vossa alma perdure pelos séculos dos séculos”. (5-1-87, nº 1066).

 

“Minha filha:  há, nesse momento, uma grande necessidade de oração;  o Santo Rosário será escutado, neste dia, pelo Senhor como se fosse a minha voz.  A oração é um pedido meu e está dirigido a todos os povos.  A oração deve nascer de um coração bem disposto;  deve, também, ser freqüente e feita com amor.  Que não seja nunca deixada de lado, já que a  Mãe quer que, por ela, os filhos cheguem a Deus.  É a arma que utiliza e com a qual consegue vencer o inimigo”. (6-6-87, nº 1192).

 

“Minha filha, como Auxílio dos Cristãos, quero salvar os meus filhos, pedindo-lhes que se convertam e que, depois, se consagrem ao  meu Coração de Mãe.  Responderei à sua consagração com a minha proteção”. (21-8-87, nº 1242).

 

“Minha querida filha, como a juventude está tristemente perdida!  O vício das drogas e a vida fácil foram o panorama aberto aos jovens pelo maligno.  O pecado, cometido de diversas maneiras, faz com que se afastem cada vez mais de Deus.  Para reencontrar-se com Ele devem voltar os olhos à Mãe de Deus.  Somente escutarão a voz do Senhor se introduzirem no coração da Mãe.  Não me escondo de ninguém; Ninguém, pois, se esconda de mim”. (21-9-87, nº 1262).

 

“A vinda do Senhor é iminente, é, como diz a Escritura, ninguém sabe o dia nem a hora, mas acontecerá; e, certamente para essa hora, os cristãos devem estar preparados.  Até as pedras o reconhecerão; é assim, minha filha, que esta Mãe quer dar a conhecer a Palavra de seu Filho”. (26-3-88, nº 1382).

 

“O Santuário, a casa da Mãe para os filhos.  Lugar onde a Mãe congrega os filhos, para o encontro com o seu Filho, assim como onde o Filho se oferece na Santa Comunhão, por misericórdia do Pai.  Jesus Eucaristia,  profundíssima comunicação entre Deus e o homem;  poderosíssimo Amor de Deus ao homem e pelo homem.  No Santuário, onde Maria Mãe do Cristo espera os seus filhos, que herdou desde a Cruz;  é no Santuário que Maria atua sobre as almas, para o bem delas”. (27-4-88, nº 1400).

 

“Filha, reza por todos os jovens do mundo;  têm necessidade da ajuda divina, já que pesa sobre eles uma ameaça  mortal.  A droga é, na verdade, um gravíssimo perigo para a juventude.  Muitos jovens, neste momento, estão sendo escravos de satanás, da maneira mais cruel.  Deus não quer  nem escravos, nem seduzidos.  Quer almas que tenham fé na vida que não se acaba, fé em Cristo Jesus Salvador das almas”
(14-6-88, nº 1441).

 

Orai pela Santa Igreja.  Meu coração está ferido porque a atacam freqüentemente.  Dia a dia sua luz é obscurecida.  Como Mãe da Igreja, sofro uma dor angustiante.  Meus sofrimentos estão unidos aos do Papa, porque sua pena é minha pena.  A intensíssima luz de Cristo ressurgirá, pois assim como no calvário, depois da Crucifixão e morte veio a Ressurreição, a Igreja também renascerá, pela força do amor.  Amém”. (10-7-88, nº 1460)

 

“Reze, minha filha, por todas as crianças do mundo.  Por aqueles a quem falta o pão, pelos que estão privados de amor, e sobretudo, da Palavra de Deus.  Aquele que é compassivo com uma criança, é compassivo com Deus.  O que dá amor a uma criança, o dá a Deus.  O que da a conhecer a Palavra de Deus à uma criança é, verdadeiramente, filho de Deus”  (7-8-88,  nº 1481).

 

“...Meus filhos devem saber que os chamo à consagração, porque, sendo consagrados ao meu Coração, pertencem à Mãe e ao Filho.  Minha luz suprirá toda escuridão e ajudará os meus filhos a transitar pelo caminho que o Senhor estabeleceu”. (13-10-88, nº 1534).

 

“O inimigo foi atacado; seu fim está próximo, e está usando a fraqueza humana, o orgulho, como último recurso.  Mas eu o vencerei, e já comecei a vencê-lo.  O mundo deve saber que a Mãe de Cristo triunfará sobre satanás, porque junto a Ela estarão os humildes de Seu Filho” (17-2-89, nº 1609).

 

“Meus filhos:  nas grandes cidades do mundo se sente o ateísmo e a total indiferença a Deus.  O maligno subiu como uma efervescência, cobrindo  com sua maldade os espíritos fracos e dominando-os.  O Senhor envia sua mensagem de alerta”  (28-2-89,  nº 1616).

 

“Orai com amor cristão e vossa oração será atendida.  Orai e estareis acompanhando o meu coração de Mãe”.   (20-3-89, nº 1628).

 

“Minha filha, são os pobres que, em seu sofrimento, chegam ao meu Coração.  Os tristes e desamparados, os marginalizados, todos eles afligem ao meu coração de Mãe.  Na oração descobrireis a Mãe que permanece a espera de seus filhos.  Orai e não vós aparteis de Deus”.  (6-6-89, nº 1688)

 

“A droga é um grave perigo para os jovens, porque os leva a viver na mais completa imoralidade.  O desconhecimento de Deus faz com que a alma mergulhe nas trevas.  Ë por isso que cada vez devem ser mais numerosos os filhos que conheçam o Evangelho, que desejem ser salvos pelo Salvador, o Cristo Jesus.  A salvação deve ser amplamente pregada; é necessário que assim seja”  (17-9-89, nº 1709).

 

“Meus filhos, eu vos peço oração, porque uma alma que não ora vai baixando no amor de Deus.  Não se pode pretender agradar a Deus, longe dele.  Quero oração e conversão dos corações”.  (23-9-89, nº 1714).

 

“Gladys, reza por todos os meus filhos extraviados;  reza para que cada coração deixe entrar o amor do meu Filho.  Reza para que cesse a rebeldia”. (3-10-89, nº 1725).

 

“Filha, o Templo é proteção de Deus para seus filhos;  aí se vai para prestar culto ao Senhor e pedir pela saúde física e um espírito firme, cimentado na fé.  O Templo é proteção de Deus para aqueles que vivem na terra e aspiram ao Céu”. (7-10-89, nº 1728).

 

 

A VISÃO DA ÁGUA BENTA.

 

 

 

A visão simbólica do dia 21 de julho de 1985 resume todo em imagens:

 

Vejo que algo arde, não sei o que é, mas vejo muito fogo e, depois, muita água que apaga o fogo.

 

A Virgem me diz:

 

“A água que vês é a força de Deus que expulsa o maligno; este quer destruir o que tanto custa alcançar:  a fé em Deus e o Amor do Senhor.  Glória a Ele, para sempre”. (nº 619)

 

 

 

O ESCAPULÁRIO.

 

 

 

O escapulário que Maria pede a vidente para os enfermos do corpo e  da alma.

El Escapulario

 

A   MEDALHA.
 

La medalla pedida por la Virgen

 

 

A 2 dezembro de 1984 a Virgem pede a vidente:

 

“Deveis mandar cunhar uma medalha, com minha imagem, sob a invocação de Maria do Rosário de San Nicolás, e, no reverso, a Santíssima Trindade com 7 estrelas”. (Nº 395)

 

A Virgem esclarece, a 25 de setembro de 1985 (segundo aniversário da primeira aparição):

 

“Minha filha, dir-te-ei o significado das 7 estrelas:  são 7 graças que meu Filho Jesus Cristo concederá a quem a leve no peito.  Louvado seja Deus. (Nº 681 bis)

 

 

 

CONSAGRAÇÃO  AO  SAGRADO

CORAÇÃO  DE  MARIA

 

 

 

A Virgem convida a uma verdadeira consagração, origem de toda santidade.

 

No dia 12 de fevereiro de 1988, esclarece sobre o seu papel nesta consagração:

 

“Filha, quando um coração se abre ao Coração da Mãe, penetra nele.  Quando um coração se abandona ao Coração da Mãe, a Mãe o modela e o guia para o Filho.  Nesse Coração há pureza, amor, humildade.  É o Coração daquela que ama e obedece ao Filho”.  (Nº 1353)

 

Se às vezes, a Virgem se refere à consagração ao Seu Coração Imaculado, é porque o considera um caminho para Deus.

 

“A consagração não tira a liberdade do cristão, não a nula, senão que a faz crescer interiormente.  Favorece a renovação espiritual de cada dia, e lhe permite introduzir-se no meu Coração e alimentar-se inteiramente dele.  Assim se chega a amar a Jesus totalmente: por meio do meu Coração.  Meu Coração dá e exige, mas não pede o impossível.  (Nº 939)

 

O pedido se torna mais insistente a partir de 1988:

 

“Esta Consagração, que não requer papéis nem fórmulas, irá diretamente ao meu Coração (...) e será recibida pelo meu Coração.  (25-5-88  Nº 1426)

 

 

 

O   SANTUÁRIO.

 

 

A Virgem pede um novo santuário, que permaneça como mais um sinal da sua presença no meio do povo.


 

O projeto do Templo pedido por

Nossa Senhora do Rosário de San Nicolas.

 

 

El Santuario en construcción

Fotografia do novo Templo

dedicado a Mãe de Deus em construção.

 

 

 

“Deveis pedir com firmeza; dai importância ao meu pedido; minha casa deve ser construída, meus filhos;  dai a Vossa Mãe o que vos pede.  Convidai a rezar no lugar escolhido e santificado por mim, e meus filhos virão”  (23-11-84, Nº 383)

 

“Quero poder recebê-los, num dia não muito longínquo, na casa que escolhi” (18-12-84, Nº 414)

 

No dia 4 de janeiro de 1984, pouco mais de três meses depois da primeira aparição, um raio de luz ilumina, pela segunda vez, o ponto exato que chegará a ser, com o tempo, o umbral do santuário marcado, hoje, por uma pedra.  No dia 22 de maio a Virgem dá mais pormenores:

 

“Vossa Mãe vos pede uma morada.  Não quero esplendores, quero uma casa espaçosa”.

 

No primeiro aniversário das aparições (25 de setembro de 1984), a Virgem recomenda que se inicie a construção que tanto deseja.  É um “leitmotiv” que se repete sem cessa.

 

 

O   SANTO   ROSÁRIO


 

 

A Virgem recomenda especialmente a recitação do Rosário.

 

“É um arma vitoriosa, e um caminho para o Amor”.

 

“O Santo Rosário é a arma que o inimigo teme; é, também, o refúgio dos que buscam alivio para seus pesares e é a porta para entrar no meu Coração”. 

 

 

“O Santo Rosário será escutado pelo Senhor como se fosse a minha voz.  Eu garanto que vossas orações se elevarão como verdadeiro canto de amor ao Senhor”

 



 AS CURAS.

 

imagen milagrosa que se regala en San Nicolás

 

 

Durante esse outono de 1984, Monseñor Castagna refletia sobre esses acontecimentos e as numerosas graças que deles resultaram. 

Quisera ter um sinal de valor. 

 

Foi então que surgiu a primeira cura extraordinária na história de San Nicolás.  Uma cura que está ainda em estudo.

 

O menino Gonzalo Miguel Godoy, de 7 anos de idade, apresentou os primeiros sintomas de uma doença que o prostrou, abatido, quase paralítico. Não podia falar. Uma radiografia manifestou sinais de um tumor cerebral: uma lesão frontal do lado esquerdo fazia pressão em toda essa zona, causando a paralisia do lado direito.

 

Sua mãe se colocou nas mãos da Virgem de San Nicolás e lhe pediu forças para suportar o inevitável, já que uma operação deixaria a criança debilitada se escapasse da morte.  A mãe estava grávida de 7 meses, do seu sétimo filho.  Sentia um profundo abatimento a uma terrível angústia e, entretanto – para surpresa sua – experimentou uma grande paz interior.

 

Os pais pediram a Unção dos enfermos para o menino e que recebesse a Primeira Comunhão.  Monsenhor Castagna autorizou esse pedido e lhes enviou seu chanceler e um amigo dessa família.  Este explicou ao menino que ia receber a Jesus, e o colocou sob a proteção da Virgem do Rosário de San Nicolás.  O menino recebeu esse “dom de Deus” com uma grande força interior e com os olhos bem abertos, contemplou a hóstia  antes de comungar.

 

Eis que, passados uns 45 minutos, começou a dar sinais de melhora; a paralisia retrocedeu, as faces recuperaram a cor, e ele saiu de sua letargia. Três dias depois foi feita uma punção lombar: a prova não revelou nada patológico. Se diminuiu a dose do medicamento; o menino se manteve acordado e começou a brincar.  Nos dias seguintes, Gonzalo começou a ler e pôde caminhar sozinho.  Foi feita uma tomografia: onde havia estado o tumor, ficou apenas uma cicatriz.

 

Esse caso continua em estudo.  Gonzalo vai à escola e brinca com vontade;  tem amigos, alegria de viver e dá graças a Deus por ter sido curado.
 

 

 

OUTRAS  CURAS.

 


      Desde então, no Santuário, é costume proclamar-se  numerosas  curas.     Muitos peregrinos as deixam por escrito, no LIVRO DE TESTEMUNHOS que, no fim do ano 1989 já constava de 187 páginas.

      

De alguns destes casos se fizeram expedientes.

Damos somente alguns exemplos das referidas curas, cujos beneficiários agradecem por elas ingenuamente.

 

- Filomena Grande, de 52 anos, oriunda de San Miguel de Tucumán.  Em outubro de 1985 sofria de cólica de fígado.  A ecografia revelou que tinha cálculos.  Os médicos lhe aconselharam que se operasse.  Mas a senhora Grande  não quis e se encomendou a Nossa Senhora de San Nicolás.  As dores cessaram no final do ano e a nova ecografia efetuada então deu resultado normal.  Submeteu-se a novos controles em abril de 1986, com resultados satisfatórios: não apareceram imagens “litiásicas”.

 

- Juan Ignacio Cordero Olguin, de 9 meses, atacado de meningite e paralisia cruzada.  Depois de estar  cego, surdo, inconsciente e em estado de coma durante nove dias, despertou no décimo dia, completamente curado, pelas orações que a sua família elevou à Virgem do Rosário de San Nicolás.  As consultas médicas efetuadas posteriormente confirmaram a cura, conforme consta da declaração assinada por Célia C. De Olgouin, no dia 24 de novembro de 1987.

 

- Anabella Renée Rao,   de  12  anos, estudante, sofrendo de paralisia e arreflexia das extremidades inferiores desde o dia 14-12-88.  O médico ordenou interná-la para efetuar uma punção lombar, a fim de analisar o líquido cefalorraquidiano.  Este revelou a existência da reação de Pandyt. Diagnóstico: síndrome de Guillain Barre.

A enfermidade foi detida a 17 de dezembro.  A 26 a menina pôde movimentar-se sem ajuda.  Em janeiro de 1989 se acentuou a melhora, e, ajudada pelos exercícios de reabilitação, a 7 de fevereiro já podia caminhar normalmente.

Desde o momento em que se conheceu o diagnóstico, a menina e sua mãe confiaram o caso à Virgem do Rosário de San Nicolás com a absoluta certeza de que “as protegeria sob o seu manto”  A mãe rezava continuamente o ângelus e pedia forças a Deus para aceitar tudo o que a Virgem quisesse.  Começaram a novena no dia 17 de dezembro, dia em que a enfermidade parou de repente.

Essa recuperação integral em tão breve espaço de tempo, constitui um caso  clínico  excepcional e totalmente contrário às previsões evolutivas, segundo os médicos que atuaram no tratamento.

 

Os médicos de San Nicolás abriram um consultório médico, com o qual colaboram vários especialistas.

www.obradoespiritosanto.com

 

 

 

       © Últimas e Derradeiras Graças