:: Página Principal.
:: Documentário da Igreja.
:: O Poder da Santa Missa.
:: O Poder do Santo Rosário
:: Aparições de N. Senhora.
:: A Vida dos Santos.
 
:: As Grandiosas Orações.
:: As Orações e Promessas.
:: As Devoções.
 
:: O Relógio da Paixão.
:: A Divina Misericórdia.
:: A Mediação de Maria.
 
:: A Catequese do Papa.
:: Guerreiros da últ. Ordem.
:: Os Sinais do Apocalipse.
 
:: O Estudo da Liturgia.
:: A Imitação de Cristo.
:: Confessai-vos bem.
 
:: Confissões do Inferno.
:: O Milagre de Lanciano.
:: A Contrição Perfeita.
 
:: Eucaristia ou Nada.
:: Beato João Paulo II.
:: Papa Bento XVI.
 
:: O Catecismo da Igreja.

 

Papa na missa em Frascati:

o anúncio de Cristo busca a verdade, não o consenso.    

 

A Igreja não prega aquilo que os homens querem ouvir,

mas a verdade e a justiça.

 

 É uma das passagens de Bento XVI na homilia da missa celebrada na manhã deste domingo em Frascati – próximo a Castel Gandolfo – com a participação de oito mil fiéis.

 

Uma visita que se realizou à distância de 32 anos da de João Paulo II. Encontrava-se presente na celebração também o Cardeal Secretário de Estado Tarcísio Bertone, bispo titular da diocese tuscolana.


A Praça São Pedro de Frascati acolheu o Papa na visita à cidadezinha do Lácio que, depois de Roma, foi a que mais deu pontífices para a Igreja.

 

Coincidências importantes que ressaltam um laço de afeto estreito e forte: não por acaso, o Santo Padre falou de uma visita feita "para partilhar alegrias e esperanças, fadigas e compromissos, ideais e aspirações".


"Graças a Deus
– acrescentou – que me mandou hoje aqui para anunciar novamente a vocês essa Palavra de salvação." E a reflexão do Pontífice desenvolveu-se em torno da missão dos Apóstolos, os "enviados", os "mandados":

"O fato de Jesus chamar alguns discípulos para colaborar diretamente com a sua missão manifesta um aspecto de seu amor: Ele não desdenha a ajuda que outros homens podem dar à sua obra; conhece os seus limites, as suas fraquezas, mas jamais os despreza, pelo contrário, confere-lhes a dignidade de serem seus enviados."

 

Uma missão que requer algumas instruções: o ser desapegado ao dinheiro e às comodidades e levar em consideração a possibilidade de serem rejeitados, inclusive perseguidos.

"Eles devem falar em nome de Jesus sem se preocupar em ter sucesso", disse o Santo Padre. Como aconteceu com o profeta Amós, chamado por Deus para pregar contra os abusos e as injustiças, expulso pelo sacerdote Amasias. Uma rejeição que mantém a sua missão intacta.

 

"Ele continuará profetizando – ressaltou o Papa –, pregando aquilo que Deus disse e não aquilo que os homens queriam ouvir. E esse continua sendo o mandato da Igreja: não pregar aquilo que os poderosos querem ouvir. O critério dos discípulos é a verdade e a justiça, mesmo que se esteja contra os aplausos e contra o poder humano." (15/07/2012)

 

Fonte: http://www.news.va/pt/news/papa-na-missa-em-frascati-o-anuncio-de-cristo-busc

 

 

       © Últimas e Derradeiras Graças