:: Página Principal.
:: Documentário da Igreja.
:: O Poder da Santa Missa.
:: O Poder do Santo Rosário
:: Aparições de N. Senhora.
:: A Vida dos Santos.
 
:: As Grandiosas Orações.
:: As Orações e Promessas.
:: As Devoções.
 
:: O Relógio da Paixão.
:: A Divina Misericórdia.
:: A Mediação de Maria.
 
:: A Catequese do Papa.
:: Guerreiros da últ. Ordem.
:: Os Sinais do Apocalipse.
 
:: O Estudo da Liturgia.
:: A Imitação de Cristo.
:: Confessai-vos bem.
 
:: Confissões do Inferno.
:: O Milagre de Lanciano.
:: A Contrição Perfeita.
 
:: Eucaristia ou Nada.
:: Beato João Paulo II.
:: Papa Bento XVI.
 
:: O Catecismo da Igreja.


 
O Divino Espírito Santo.

 

 

 

 

 

Novena ao Divino Espírito Santo

10 dias de reflexões em preparação para Pentecostes

 

Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.

 

Oração Preparatória para todos os dias:

Vinde, Espírito Santo, enchei os corações dos vossos fiéis, e acendei neles o fogo do vosso amor.

V. Enviai o vosso Espírito e tudo será criado.

R. E renovareis a face da terra.

Oremos: Ó Deus, que instruís os corações de Vossos fiéis com a Luz do Espírito Santo, fazei que saibamos apreciar retamente todas as coisas, segundo o mesmo Espírito, e possamos gozar sempre de sua consolação. Por Cristo, Senhor Nosso. Amém.

 


 

Primeiro dia

 

1o. Ponto: O Espírito Santo é Deus e Deus de toda a majestade. E eu sou uma miserável criatura e, entretanto, ó infinita bondade,... Esse Deus tão grande, esse divino Consolador humilha-se até descer em minha alma. Ainda mais: quantas vezes a sua misericordiosa caridade não o levou, por assim dizer, a bater à porta do meu coração para pedir-lhe hospedagem! E eu serei tão indiferente que não o convide?... E não imitarei os discípulos de Nosso Senhor Jesus Cristo e sua divina Mãe que, depois da ascensão do Salvador, se recolheram ao Cenáculo para aí esperar o Espírito Santo que lhes prometera! Eis, minha alma!... Viva confiança e ardente desejo! Repitamos muitas vezes: Vinde, Espírito Santo!

 

2o. Ponto: Eu convido o Espírito Santo... Mas tenho-lhe preparado uma morada?... Onde está o trono do meu Rei? Onde o templo de meu Deus? Meu coração está pronto? Tudo nele se acha bem ordenado?... Ah! é mister dispô-lo nestes dias a receber a divina luz que vem do alto... Esta luz é uma ação celeste, sobrenatural, divina; exige disposições adequadas aos seus efeitos. Elevemos, pois, nossos corações ao céu... Ao céu nossos pensamentos e afetos... Fujamos à dissipação das criaturas, se quisermos realmente unir-nos ao Criador... Recolhimento, silêncio, oração, guarda dos sentidos, mortificação... Eis de que modo podemos dispor-nos a tão grande graça...

 

3o. Ponto: Quanto precisamos receber um raio desta divina luz!... Pois, donde vêm tantas quedas?...

Será da falta de luz que nos ilumine, ou de nossa cegueira?... Donde tantos pecados?... Por quê tão pouco amor para com Aquele a quem devemos amar sobre todas as coisas?... É porque esta divina luz não ilumina as nossas almas? Ah!... fechemos os olhos às vaidades da terra, para abri-los à divina luz do Espírito Santo!... Felizes de nós se um dos seus raios chegar até o nosso coração!... Vinde, Espírito Santo, dizei a este abismo de misérias e de trevas: -"Faça-se a luz!" E logo ela descerá sobre nós.

 

Primeiro Exame: Sobre o Recolhimento

 

1- Não sou eu do número destes cristãos dissipados ou negligentes, que quase nunca entram em si mesmos, para ver o estado de sua alma e escutar a voz da consciência?...

2- Nada tenho que reformar a respeito das conversações inúteis e visitas em que se perde o espírito de piedade?...

3- Quando na oração ou noutros exercícios de piedade, Deus me envia alguma luz interior ou um bom sentimento, não me distraio logo ocupando-me com coisas diferentes?...

 

PROPÓSITO: Entremos em nós mesmos!...

Estamos bem com Deus?... Podemos ficar satisfeitos com o nosso modo de viver?... Foi depois de um salutar exame sobre si mesmo que o filho pródigo voltou a seu pai... No meio de nossas ocupações, esforcemo-nos para elevar nosso pensamento a Deus...

 

Pai Nosso..., Ave Maria..., Glória ao Pai...

 

Jaculatória: Vinde, Espírito Santo, e mandai do Céu um raio de vossa luz!

 


 

Segundo dia

 

1o. Ponto: Sou pobre... Talvez não me faltem os bens terrenos, porém, quão passageiros são... De que me servirão eles no fim da minha vida?... Oh! os verdadeiros bens são os da alma, os da eternidade... E esses eu não possuo!... Onde estão minhas virtudes, minha piedade, minhas boas obras?... Que proveito tenho tirado da graça de Deus?... Ai de mim!... Talvez o pecado mortal já me reduziu à maior miséria. Desabusemo-nos e não temamos fazer ao Dispensador de todos os bens a humilde confissão de nossa extrema indigência. - "Ego vir videns paupertatem meam". - Longe de nós o orgulho!

 

2o. Ponto: Apressemo-nos em sair desta deplorável indigência. Eis que chega o Dispensador das graças, das virtudes e de todos os bens celestes. "Dator múnerum", num instante Ele pode transformar a nossa indigência em grande riqueza. Seus tesouros são inesgotáveis, sua liberalidade infinita. Se permanecemos em nossa pobreza, será por negligência e tibieza nossa.

 

3o. Ponto: Não somente sou pobre, como também cego. Que deplorável estado!... Entretanto é real. Dentro de mim quantas trevas para tudo o que diz respeito ao bem de minha alma e ao importante negócio de minha salvação. Ter para com Deus um coração frio e gelado, não é prova evidente que vivo sem conhecer a esse Deus, tão digno de ser amado sobre todas as coisas?...

Esquecer-me de meus deveres para com meu Criador, até cometer o pecado mortal, não é prova de que nunca conheci bem a deformidade, a malícia e a torpeza do pecado?... Se uma vez me tivesse compenetrado desta grande e terrível verdade: "Há um inferno e um inferno eterno", me haveria exposto ao perigo de perder a graça de meu Deus e com ela a eterna felicidade?...

Quantos motivos para levantar meus olhos ao Espírito de Luz e exclamar com o cego do Evangelho: "Senhor, fazei que eu veja", 'Domine, fac ut videam!' e com o Rei Davi: "Ó Meu Deus, dai à minha alma luz e inteligência!"...

 

Segundo Exame:

1. Obstáculo aos Dons do Espírito Santo - Os afetos desregrados

 

1- Não tenho demasiado apego ao dinheiro? Minhas despesas são sempre necessárias, úteis, razoáveis?...

2- Não procuro demasiada satisfação de meus sentidos e de minha moleza?...

3- Não sou escravo do amor próprio, da vaidade, da minha estima pessoal, ao passo que desaprovo e censuro meu próximo?...

 

PROPÓSITO: A fim de arrancar as afeições desordenadas que nascem da avareza, da sensualidade e do orgulho, farei algum ato de mortificação, de caridade.

 

Pai Nosso..., Ave Maria..., Glória ao Pai...

 

Jaculatória: Purificai minha alma, ela está manchada; regai-a, está árida; curai-a, está ferida.

 

 



Terceiro dia

 

1o. Ponto: Dando-me ao serviço de Deus, eu quisera sentir somente doçura e consolações. Que cegueira!... Ignoro eu que esta vida não é para gozar-se... Agora é o tempo do combate e da prova...

Pois bem: consola-te, minha alma; podes, sim, procurar consolações. Mas não as peças ao mundo. Suas promessas são falazes e suas consolações torpes e passageiras. O demônio e o pecado também nos apresentam sua taça de prazeres, mas um veneno sutil está escondido no fundo do cálice, exteriormente tão delicioso... Quantas lágrimas eternas a ilusão de um instante nos fará derramar!... Só o Espírito Santo pode dar-nos verdadeiras consolações, e as dá àqueles que renunciam com generosidade aos prazeres e aos gozos que lhe oferecem o mundo e o pecado... Não aspiremos mais tão falsas consolações; não nos deixemos seduzir por enganadoras promessas!

 

2o. Ponto: Muitos são os que querem entrar em meu coração para nele estabelecer morada: o demônio, o vício, o mundo e o Espírito Santo.

Todos dizem: "Filho, dá-me teu coração!" Quem terá minha preferência?... Não há que hesitar... Ah! ó divino Espírito Santo, vós sereis o hóspede amável, o hóspede caro ao meu coração... Os outros, para serem recebidos, fazem mil promessas lisonjeiras; mas apenas entram num coração, se transformam em cruéis tiranos para torturá-lo com angústias, remorsos e temores. Já não temos feito a triste experiência?

Ah! longe tudo quanto não é de Deus; ao Espírito Santo ofereçamos nossos pobres corações para que neles estabeleça sua morada. Ó Deus de minha alma, vós sois a minha herança para sempre!

 

3o. Ponto: Quanto é doce e suave nos calores do verão, o sopro ligeiro da brisa!...

Eis a fraca imagem do que experimenta a alma quando o Espírito Santo se digna visitá-la com esse sopro divino que a Sagrada Escritura chama de murmúrio dum brando zéfiro. Mas talvez nada compreendamos dessas delícias espirituais. Talvez mesmo pareçam quimeras!

Pois bem!... Façamos hoje o que fazem as almas santas que as têm experimentado. Pensemos seriamente na recepção que desejamos fazer ao Espírito Santo. Talvez chegue hoje o momento em que compreendamos e sintamos quanto o Senhor é amável!...

 

Terceiro Exame: 2. Obstáculo aos Dons do Espírito Santo - A preguiça

 

1- Ao acordar-me pela manhã ou durante a noite, sou pontual em elevar meu coração a Deus por meio de alguma oração?...

2- Sou exato no fazer minhas coisas espirituais?...

3- Quando sou mais fortemente tentado, ou quando tenho a desgraça de cair no pecado, não desanimo e não deixo meus deveres de piedade, aos quais deveria recorrer com mais rigor?...

 

PROPÓSITO: Nas principais orações do dia, renovarei a intenção reta e pura de fazer em tudo a vontade de Deus, e lembrar-me-ei amiúde de sua presença.

 

Pai Nosso..., Ave Maria..., Glória ao Pai...

 

Jaculatória: Senhor, para vós, em vossa presença e por vós!

 

 

 

 

Quarto dia

 

1o. Ponto: É impossível que eu não tenha algum sofrimento ou alguma cruz... pois quem neste mundo não sofre?... Bastam a dependência que constrange minha liberdade, a sujeição e as fadigas de meu emprego, as solicitudes inerentes a meu estado... para que me ache em contínuo penar. Quantas vezes suspiro por algum alívio!... Mas não há outro mais salutar para mim do que oferecer ao Espírito Santo essas penas inseparáveis da vida, declarando-lhe que as suporto de bom grado por serem de sua vontade.

Acostumemo-nos a renovar amiúde esta intenção, e dentre em pouco veremos a verdade da divina palavra: "Meu jugo é suave e meu peso é leve."

 

2o. Ponto: As tentações: Ah! entre tantos motivos de sofrimento, é esse sem dúvida, o que mais nos aflige... Mas, que fazer?... Haverá alguém sobre a terra que seja isento de tentações e livre desses combates interiores que se dão entre a carne e o espírito?... Os maiores Santos foram tentados. Longe de perdermos no meio dessas provas a paz da alma, devemos, pelo contrário, opor-lhes generosa resistência.

Se a tentação for demasiado violenta, se nosso coração se sentir como que abrasado nas chamas infernais, ah! sem tardar brademos ao Espírito Santo!... Sua virtude divina apagará qualquer chama impura: e o fogo sagrado do divino amor extinguirá o da concupiscência.

Abrasai, Senhor, nossos corações no fogo do vosso Santo Espírito, a fim de que num corpo casto e com um coração puro possamos vos servir e agradar.

 

3o. Ponto: O Espírito Santo é o Deus de Consolação. Ele consola os que choram, e é por isso chamado Paráclito ou Consolador...

Ah! donde vem que no meio das lágrimas que derramo cada dia ainda não senti os efeitos desse bálsamo divino?...

A que atribuir isso?... Nas minhas penas e lágrimas voltei meu coração para o Espírito Santo Consolador?... Quando me achei sob o peso da aflição, foi a ele e não às criaturas, que pedi alívio e consolo?... Ainda mais: Qual foi a causa das minhas lágrimas?... Tudo, exceto os meus pecados. Comecemos, pois, por chorar nossas faltas e veremos que nada há mais doce que a compunção. Só para aqueles que derramam essas lágrimas é que o Espírito Santo quer ser o Deus de consolação. Felizes os que choram, porque serão consolados!

 

Quarto Exame: 3. Obstáculo aos Dons do Espírito Santo - O respeito humano

 

1- Não tenho deixado de pedir conselho por receio de que me julguem ignorante ou escrupuloso?...

2- Não adiei a confissão, ou mudei de confessor, só para evitar a vergonha de confessar minhas reincidências nas mesmas faltas?...

3- Com receio de censuras ou por condescendência, não omiti certas boas obras, ou não me deixei arrastar ao mal?

 

PROPÓSITO: Farei conhecer ao meu diretor espiritual tudo o que faço, quer de bom, quer de mal. Ao menos todos os meses dar-lhe-ei conta de minha consciência. Em tudo pedir-lhe-ei conselho, sabendo que ele é para mim o representante de Deus; confiar-me-ei inteiramente à sua direção.

 

Pai Nosso..., Ave Maria..., Glória ao Pai...

 

Jaculatória: Restituí-me a alegria que dá a vossa assistência salutar e fortificai-me com vosso Espírito!

 

 


Quinto dia

 

1o. Ponto: O Espírito Santo é Deus, logo é luz. Os pecados pelo contrário são trevas. Ora a luz e as trevas não podem permanecer juntos. Nestes dias peçamos ao Espírito Santo que desça sobre nós. Mas não está meu coração envolto nas espessas trevas dos afetos desordenados e das más inclinações?...
Ah! se por desgraça essas trevas reinam em minha alma, é mister, primeiramente, dissipá-las pelo arrependimento, por uma boa confissão e pela mortificação dos sentidos. D’outro modo o Espírito Santo não escutaria minha oração; como poderia ele habitar na sombria morada do pecado?

 

2o. Ponto: Que felicidade, se no grande dia de Pentecostes eu me achasse cheio do Espírito Divino, cheio de luzes na inteligência, cheio de fervor na vontade! Ó dia ditoso!... Ó admirável mudança!... Não serei mais o que até agora fui! Mas seria possível que, desprezando tão maravilhosa transformação, eu preferisse continuar nos meus maus hábitos, nos criminosos afetos do meu coração...
Meu Deus, preservai-me de semelhante cegueira! ó minha alma, recorra à oração, peça instantemente ao Senhor como Davi: "Dai-me, ó Deus, um coração puro e renovai a retidão do meu espírito!"

 

3o. Ponto: Quem poderá esperar a plenitude dos dons do Espírito Santo?... Os corações que lhe forem fiéis... Os corações fiéis ao Espírito Santo são os que se conformam aos ensinos da fé, os que são dóceis às divinas inspirações, que cumprem fielmente as promessas feitas no batismo, isto é, que renunciam ao mundo, que nada têm de comum com o príncipe das trevas...
Que reflexões me sugerem estas obrigações... Acho em mim esses três caracteres da fidelidade ao Espírito Santo?...

 

Quinto Exame: 4. Obstáculo aos Dons do Espírito Santo - A inconstância

 

1- Não costumo deixar, sem motivo plausível, os exercícios de piedade que adotei?...

2- Sou fiel às promessas que tão repetidamente faço a Deus, particularmente nas minhas confissões?...

3- Conheço a causa desta inconstância?... Será o meu gênio?... a minha negligência no desempenho dos meus deveres de piedade?... Um vil respeito humano?... Não basta prometer a Deus; é preciso ainda desprezar os juízos humanos para não nos envergonharmos diante das criaturas da mudança que resolvemos fazer no nosso modo de viver...

 

PROPÓSITO: Serei mais vigilante na guarda dos meus sentidos: da vista, dos meus ouvidos, e sobretudo da língua. A grande liberdade dos olhares e das conversações foi-me muitas vezes origem de tentações e de pecados. De manhã à noite rezarei uma Ave-Maria em louvor do Coração Imaculado da Santíssima Virgem, para que ela me alcance o precioso dom da pureza.

 

Pai Nosso..., Ave Maria..., Glória ao Pai...

 

Jaculatória: Concedei-me, ó meu Deus, um coração puro e um espírito reto!

 

 


Sexto dia

 

1o. Ponto: Examinemos até que ponto necessitamos do socorro do Espírito Santo. É de fé que sem o seu divino auxílio não podemos pronunciar o nome de Jesus de um modo meritório. Um cadáver seria mais capaz de agir, ver, sentir e andar sem o auxílio de sua alma, do que uma alma fazer qualquer boa ação sem o socorro do Espírito Santo.

Confessemos, pois, humildemente a esse Espírito divino, a extrema necessidade que dele temos, e que a nossa fraqueza nos sirva de incentivo para preparar-lhe sempre melhor o nosso coração. Lembremo-nos, portanto que precisamos de sua assistência para essa preparação. Invoquemos o Espírito Santo com toda confiança, persuadidos de que, se nada faltar da nossa parte, Ele estará pronto a auxiliar-nos com sua graça.

O Concílio de Trento diz que "Deus não manda coisa impossível, mas quando manda admoesta para que façais o que podeis e peçais o que não podeis, e ajuda para que possais tudo fazer".

 

2o. Ponto: Um corpo sem alma nada pode fazer: corrompe-se e exala infecção; do mesmo modo, sem o Espírito Santo minha alma é incapaz de qualquer bem e capaz de todo o mal. Ela cai na tentação, obstina-se no pecado e, enfim, se condena... Eu creio e confesso esta verdade... Como é que ainda sou indiferente, sem desejos, sem orações para implorar a assistência do Espírito Santo e preparar minha alma para sua vinda?

 

3o. Ponto: Mas se esse divino Espírito me assistir, tudo poderei, sim, tudo absolutamente. Poderei resistir às mais violentas tentações; poderei viver sempre inocente, praticar as mais heróicas virtudes, enfim, tornar-me santo. "Tudo posso naquele que me fortalece" - não somente posso, mas faço tudo com facilidade... Ó minha alma, haverá censuras com que se possam condenar tuas passadas desconfianças quando dizias: "Não me é possível viver sempre assim! Não me é possível viver sem prazeres!..." Que poderás temer agora que possuis o Espírito Santo? Qualquer temor ou desconfiança ser-lhe-ia injúria.

 

Sexto Exame: 5. Obstáculo aos Dons do Espírito Santo - A obstinação

 

1- Não vivo na obstinação?... Isto é, não persevero n'algum pecado ou na ocasião próxima de cometê-lo?...

2- Depois de ter a desgraça de cair em pecado, não adio a confessá-lo por negligência ou vergonha?... Pela razão que custa tanto confessar-se dum só pecado como de muitos, não tenho multiplicado o número de minhas quedas, como se cada pecado não fosse uma ofensa de Deus e não devesse ser expiado nesta ou na outra vida?...

3- Teria eu chegado ao ponto de cometer o pecado sem receio e até mesmo a gloriar-me de tê-lo cometido, e a induzir os outros a dizer o mesmo? Minha fatal cegueira ter-me-ia deixado adormecer em paz no pecado, sem cuidar que em semelhante estado tenho a Deus por inimigo?

 

PROPÓSITO: Vou determinar a assentar por escrito que gênero de vida devo adotar, ou as resoluções que quero tomar segundo as inspirações do Espírito Santo, e a aprovação do diretor espiritual.

 

Pai Nosso..., Ave Maria..., Glória ao Pai...

 

Jaculatória: Vinde, Pai dos pobres; vinde, Dispensador dos bens celestes; vinde, Luz dos corações!

 

 

Sétimo dia

 

1o. Ponto: Eu deveria ter conservado a pureza e a inocência batismal.
Que felicidade seria então a minha!... Mas ah!... só Deus conhece o número de pecados com que tão indignamente manchei minha alma. Quantas lágrimas não deveria eu derramar por ter perdido a bela inocência!... Entretanto em minhas mãos está recuperar a minha primitiva pureza... Ó Espírito Santo, fonte d'água puríssima, vem lavar as manchas do pecado! Misturada às minhas lágrimas, esta água divina será para mim um banho salutar."

 

2o. Ponto: Queixo-me sempre de não sentir atrativo pela Santa Comunhão nem pela leitura dos livros de piedade; de não ter lágrimas para chorar meus pecados, como eu desejo; em cima, de ser duro como um rochedo... seco como a areia do deserto, e como a terra desolada pelos ardores do Sol. Se assim é, por que não me exponho ao Espírito Santo essas necessidades de minha alma?...

Não é Ele a chuva benfazeja que refresca e orvalha os corações?... Digamos-lhe sem cessar: "Vinde, Espírito Santo, minha alma está como uma terra sem água..." Por que não lhe pedimos mais inclinação pelas coisas de Deus?... Todavia não devemos fazer-lhe este pedido só por amor às consolações, mas sim para podermos com seu socorro produzir abundantes frutos de salvação...

 

3o. Ponto: O Espírito Santo é também um bálsamo que cura as feridas. Ah! se eu pudesse ver o lastimoso estado de minha alma, quantas chagas descobriria nela, muitas feitas pelo pecado mortal... e outras muitíssimas pelo pecado venial, estas menores e menos profundas, porém muito mais numerosas... Não estou eu todo coberto de feridas, como o pobre viajante do Evangelho assaltado pelos ladrões?... Que hei de fazer, senão prostrar-me humildemente ante o Espírito Santo, como fazem à porta dos templos esses infelizes roídos de úlceras, implorando a assistência das almas compassivas; e mostrar com profundo sentimento de dor e confusão as chagas de minha alma a este caridoso médico. Ele compadecer-se-á de meu estado lastimável, e sua virtude poderosa derramará sobre mim um bálsamo salutar.

 

Sétimo Exame: 6. Obstáculo aos Dons do Espírito Santo - A tibieza

 

1- Nunca deixo minhas orações da manhã e da noite e faço sempre esses exercícios com diligência e atenção?...

2- Assisto ao Santo Sacrifício da Missa quando mo permitem meus deveres de estado?... Achando-me na Igreja, não falto à modéstia e ao respeito? Não tenho escandalizado ao próximo com meu ar dissipado?... Preenchendo meus exercícios de piedade, sou verdadeiramente recolhido em meu interior?...

3- Não me acostumei a aproximar-me dos Sacramentos com tibieza, aborrecimento ou respeito humano?... Antes da confissão, sou diligente em excitar-me à dor de meus pecados pela consideração dos motivos sobrenaturais da bondade de Deus, da minha ingratidão para com Ele?...

 

PROPÓSITO: Farei uma pequena penitência cada vez que tiver omitido por negligência qualquer dos meus exercícios de piedade.

 

Pai Nosso..., Ave Maria..., Glória ao Pai...

 

Jaculatória: Divino Espírito Santo, purificai minha alma, regai-a, curai-a!


 


Oitavo dia

 

1o. Ponto: A docilidade é um sinal de predestinação. Pelo contrário, é indício de obstinação no mal, como os réprobos, não querer escutar os avisos e conselhos daqueles que são animados dum zelo prudente, e não se deixam dirigir por aqueles a quem Deus confiou esta missão. Temos nós o sincero desejo de ser dirigidos em tudo o que diz respeito à nossa salvação?... Damos o respeito devido à santidade da casa de Deus?... Demo-nos a conhecer plena e inteiramente ao nosso diretor espiritual?... Somos sensíveis às inspirações da graça e aos bons exemplos?... Se, pelo contrário, encontrarmos resistência em nossa alma, trabalhemos por torná-la dócil à ação da graça e repitamos amiúde esta oração do sábio: "Senhor, dai ao vosso servo um coração dócil".

 

2o. Ponto: Nestes dias é que o céu abrasa a terra no fogo do divino amor. O mundo cristão está como engolfado nas chamas da caridade que o Espírito Santo derrama nos corações dos fiéis: seríamos nós tão insensíveis, que no meio deste grande incêndio ficássemos, senão frios, ao menos indiferentes ao serviço do Senhor? Assim acontecerá se não prepararmos nossa alma... Ora, como a lenha verde não se pode queimar se não perder a umidade, é mister também arrancar do nosso coração todos os afetos terrestres e desordenados, que só servem para apagar o fogo do divino amor. Por isso preparem-nos: o Senhor vai chegar! Imitemos os Santos nos quais admiramos os efeitos desse foto sagrado.

 

3o. Ponto: O mais deplorável engano em que posso cair é o de errar na escolha de um estado de vida...

Dele depende minha salvação eterna... Praza a Deus que nas minhas resoluções sobre o futuro, eu já não me tenha afastado do caminho que a Providência me indicou, guiando-me pelos caprichos de minha vontade, pelos desejos da ambição, ou por qualquer outro mau conselho... É sobretudo neste ponto que eu devo protestar ao Espírito Santo não querer outro guia, a não ser Ele. Vou implorar instantemente nestes dias de graças, o socorro de suas luzes, pedindo-lhe que me indique o caminho que devo trilhar. Mas Ele exige que eu humildemente peça os avisos e as luzes dos que me dirigem.

 

Oitavo Exame: 7. Obstáculo aos Dons do Espírito Santo - A presunção

 

1- Não me acontece que, contando com minhas forças, eu me exponho à ocasião do pecado, sem temer nem sua funesta influência, nem minha própria fraqueza?...

2- Toda minha virtude não consiste só em certas práticas exteriores de devoção, como se minha salvação dependesse unicamente delas sem que eu me corrija de meus defeitos, arranque os maus hábitos e vença as paixões?...

3- Presumindo demais da paciência e misericórdia de Deus, não tenho recaído nos mesmos pecados sem temer que a medida já esteja cheia e que, cansado com minhas ingratidões, o Senhor me abandone?...

 

PROPÓSITO: Que fazer quando temos a desgraça de cair no pecado mortal?... Humilhar-nos logo perante Deus, fazer um sincero ato de contrição e ir confessar-nos o mais breve possível, a fim de não permanecermos neste estado de morte, em perigo de perdição eterna.

 

Pai Nosso..., Ave Maria..., Glória ao Pai...

 

Jaculatória: Fazei, Senhor, que eu vos tema, se ainda não sei amar.


 


Nono dia

 

1o. Ponto: Entre os sete dons que o Espírito Santo concede aos seus servos, três sobretudo lhes são mais necessários: o primeiro é o dom da força: "Sede fortes no combate!" eis o grito de guerra que todos os dias se repete. E o nosso divino Mestre nos ensina que, para ganhar o Céu, é necessário não só a força como também a 'violência'. Devo pois, resistir com a coragem de leão aos assaltos que me dá o inimigo da salvação. É este o caráter que me distingue? Não; a mais fraca tentação me abala... a menor palavra me faz recuar... e pôr-me fora de combate. Eu que deveria ser inabalável como o cedro, seu como o caniço que um leve sopro dobra e quebra... Humilhemo-nos, vendo tanta fraqueza, e peçamos o dom da força tão necessário para permanecermos firmes no meio de tantos perigos... Lembremo-nos também que a fonte dessa fraqueza é a presunção que nos impele a afrontar os perigos.

 

2o. Ponto: O segundo dom de que muito precisamos é o dom da piedade. Esta virtude se pratica para com Deus e para com os pais.

Todos os dias digo a Deus: "Pai Nosso". Se Deus é meu Pai, onde está o meu amor filial para com ele? Não sou eu o outro filho pródigo?... Oh! se assim for, lança-te nos braços de tão bom Pai e diga-lhe com o mais vivo arrependimento: "Meu Pai, pequei contra o céu e contra vós; não sou digno de ser chamado vosso filho". E dirigindo-te depois ao Espírito Santo, suplica-lhe que te torne doravante digno filho de um Pai tão bom.

 

3o. Ponto: O terceiro dom é o dom do temor de Deus. Temor de Deus é observar seus mandamentos. Eis a verdadeira grandeza, a verdadeira sabedoria... Se eu temer a Deus não temerei mais os homens... Bem-aventurada a alma que teme o Senhor! Supliquemos ao Espírito Santo que nos conceda este tão precioso dom; e para alcançá-lo recorramos à intercessão da Santíssima Virgem: ela é a Mãe do belo amor e a Mãe do temor de Deus.

 

Nono Exame: 8. Obstáculo aos Dons do Espírito Santo - A fonte dos pecados

 

Qual é a fonte mais ordinária dos meus pecados? Sou tão pouco senhor de mim que ainda me deixo dominar pela ira e pelo ressentimento, dando aos outros ocasião de fazer o mesmo? Tenho ainda viva em mim a concupiscência, que me custa demais privar-me de prazeres permitidos, e abster-me dos proibidos?

 

PROPÓSITO: Estou resolvido a corrigir-me dos numerosos pecados, que demasiada liberdade nas palavras me faz cometer contra a verdade, a caridade e a pureza. E como remédio eficaz para em pouco tempo arrancar os meus maus hábitos, farei uma pequena penitência cada vez que cair em alguma falta sobre estes três pontos.

 

Pai Nosso..., Ave Maria..., Glória ao Pai...

 

Jaculatória: Virgem incomparável, a mais doce das criaturas, alcança-me o perdão dos meus pecados e as virtudes da doçura e da castidade!


 


Décimo dia

 

1o. Ponto: Se eu não salvar a minha alma, tudo o mais de nada me servirá. A nobreza de origem... as riquezas... os talentos, tudo isto não terá valor algum... Com efeito, se eu me condenar, de que me servirá ter ocupado alta posição na sociedade?... Ter nadado na opulência e nos prazeres, para depois ser cruciado nas chamas eternas?... Brilhar pelo saber e gênio e depois perder a imortal coroa?...

É tempo agora de pensar seriamente nestas verdades e, seguindo as inspirações do Espírito Santo, ordenar o importante negócio da minha salvação... Protestar-lhe mais por obras do que por palavras, que minha vontade firme e sincera é salvar minha alma a todo custo.

Ó meu Deus, abençoai, fortalecei e aperfeiçoai em mim estes propósitos até agora tão fracos e lânguidos.

 

2o. Ponto: Tenho compreendido bem o sentido destas palavras: "Salvar minha alma?" Salvar-se é merecer e ganhar uma felicidade sem medida e sem fim... Serei eu tão insensato que prefira satisfações momentâneas e vis prazeres a uma felicidade eterna?... Oh! Deus sabe e eu também o que tenho feito até agora. Ó minha alma, não tarde em fazer com o Espírito Santo um contrato tão vantajoso... Ele nos promete a eterna felicidade se por seu amor sacrificarmos generosamente os prazeres lícitos desta vida passageira.

 

3o. Ponto: Não devo mais hesitar. Se eu quiser ganhar o Paraíso, é mister comprá-lo pela prática das virtudes cristãs, sobretudo da paciência e da mortificação. Pretenderia eu alcançar isso por menor preço do que Jesus Cristo? Ora, foi mister que Cristo sofresse, para entrar na sua glória... Não basta pois pedir apenas ao Espírito Santo a graça de chegar a esse reino de glória e felicidade... É preciso preparar-se por uma vida cheia de virtudes e méritos. E desde que tenho a certeza de que a graça de Deus não há de faltar, quero trabalhar com coragem e nada negligenciar, para que estes dias de preparação e meditação dos mistérios de Pentecostes sejam para mim o princípio duma nova vida...

 

Décimo Exame: Sobre a Perseverança

 

1- Por quanto tempo fui fiel às boas resoluções que tenho tomado?

2- Que meios emprega o demônio para me fazer recair nas mesmas faltas?

3- Qual é a causa mais ordinária das minhas quedas?... Não seria a omissão voluntária duma prática de piedade bem começada e logo depois deixada por indiferença?... Não seria a facilidade com a qual escuto as sugestões do demônio e das paixões?... Uma faísca basta para causar um grande incêndio.

 

PROPÓSITO: Vou tomar nota das boas resoluções que o Espírito Santo me inspirou nesta novena, suplicando-lhe que me ajude com sua graça a observá-las fielmente, a fim de que Ele opere em minha alma a mesma mudança que operou nos Apóstolos, isto é, uma transformação total, generosa e permanente. Implorarei também a poderosa intercessão da Santíssima Virgem, que a Igreja chama templo do Espírito Santo, e ao receber a santa Comunhão no dia de Pentecostes, lembrar-me-ei que foi no Cenáculo onde Jesus instituiu a Santíssima Eucaristia que os Apóstolos, juntamente com Maria Santíssima, receberam o Espírito Santo com a abundância de seus dons.

 

Pai Nosso..., Ave Maria..., Glória ao Pai...

 

Jaculatória: Vinde, ó divina Luz: enchei o coração dos vossos fiéis!

       © Últimas e Derradeiras Graças